Alagoas, 22 de agosto de 2019

PF investiga irregularidades na compra de avião que matou Eduardo Campos

Uma operação da Polícia Federal investiga crimes de corrupção, direcionamento de licitação e lavagem de dinheiro em Pernambuco. A Operação Vórtex, desmembramento da Turbulência, mira mais uma empresa envolvida na polêmica compra do avião Cessna Citation que caiu com o então candidato a presidência em 2014 Eduardo Campos (PSB), morto no acidente aéreo. Trinta policiais federais cumprem 10 ordens judiciais, sendo seis de busca e apreensão – quatro no bairro de Boa Viagem, um no Pina e um em Jaboatão dos Guararapes – e quatro mandados de condução coercitiva, todos no bairro de Boa Viagem.

Há indícios de que os valores transferidos por uma das empresas investigadas na Operação Turbulência lhe haviam sido na verdade repassados, dois dias antes, por uma terceira empresa, que ainda não havia sido alvo da investigação original. “A exatidão do montante e o curto lapso temporal envolvido nas duas transações sugerem, assim, que a conta investigada na Operação Turbulência tenha sido mera conta de passagem”, diz nota da PF.

Segundo a PF, ao investigar mais a fundo a empresa remetente dos recursos, verificou-se que ela possui contratos milionários com o governo do Estado e que suas doações a campanhas políticas aumentaram de forma exponencial ao longo dos últimos anos, notadamente para o partido e candidatos apoiados pelo ex-governador do estado, Eduardo Campos.

O nome da operação é uma referência ao jargão aeronáutico, vórtex (ou vórtice), que é o nome dado ao movimento de massas de ar em formato de redemoinho ou ciclone que geralmente precede a turbulência.

Fonte: Correio Braziliense