Acusado de planejar morte de padrasto continua preso até segunda ordem, informa TJ

Acusado ostentava nas redes sociais

Na manhã desta quinta-feira (31), o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), por meio da sua Assessoria de Comunicação, informou, que Igor Amaral, acusado de planejar a morte de seu padrasto, continua preso por ordem da 17ª Vara Criminal. Ontem, o magistrado Rodolfo Osório realizou a audiência de custódia, que determinou o pagamento da fiança de R$ 20 mil pelo crime de posse ilegal de arma.

Todavia, ele foi indiciado por organização criminosa e lavagem de dinheiro. O acusado deve ser transferido a um presídio ainda hoje. A sua mãe, Suely Morais Amaral, também se encontra reclusa.

Entenda o caso

O administrador Jaetts Ferreira Júnior, que desapareceu na última quinta-feira (24), quando saiu de seu trabalho no Polo Multissetorial de Marechal Deodoro, precisou forjar sua morte para escapar de um plano de execução.

Jaetts, segundo o delegado do caso, teria sido informado sobre a trama que culminaria com a sua morte pelo homem que havia sido contratado para ceifar sua vida. O valor pago seria de R$ 30 mil reais.

Este indivíduo, identificado apenas por João, que é tratado como testemunha pela PC, teria sido contratado pela esposa de Jaetts, Suely Morais Amaral e pelo filho dela, Igor Amaral Casado.

Foi então, que o homem que havia sido contratado como ‘pistoleiro’ resolveu avisar a Jaetts sobre o plano para matá-lo, o que deveria ter sido consumado na semana passada.

Para comprovar a ‘morte do administrador, o ‘pistoleiro’ tomou a agenda de Jaetts e entregou para a contratante, dizendo que ele havia jogado o corpo da ‘vítima fatal’ em um canavial, após tê-la executado com dois tiros.

Ciente do plano, Jaetts fugiu para outro estado, mas manteve contato com familiares, que registraram um boletim de ocorrência sobre o fato, o que resultou na elucidação do caso.