Deputado Marcelo Beltrão tem acesso a relatório de CPI sobre “golpe do diploma”

Dando mais um passo no trabalho de combate à atuação irregular e de faculdades e emissões de diplomas também sem validade, o deputado Marcelo Beltrão se reuniu com a relatora e o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou as faculdades em Pernambuco. Os encontros aconteceram essa semana, em Recife.

A CPI das Faculdades, como ficou conhecida no estado vizinho a Alagoas, finalizou os seus trabalhos em 2016 e teve como presidente o então deputado estadual Rodrigo Novaes (PSD). Atualmente, Novaes é secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco. A relatora da CPI foi a deputada Teresa Leitão (PT).

Durante a reunião no gabinete da deputada estadual e relatora da CPI, Marcelo Beltrão recebeu uma cópia do relatório final da Comissão. Além disso, ambos trataram da experiência em que a parlamentar esteve envolvida durante o período que investigou o golpe em Pernambuco.

“O nosso relatório apontou que existiam oferta de cursos irregulares, faculdades atuando de forma ilegal, emissões de diplomas irregulares e até venda de diplomas. Quando o deputado Rodrigo [Novaes] soube que alunos estavam com problemas junto às faculdades, fez uma reunião com alguns alunos e depois me procurou. Eu era a presidente da Comissão de Educação e Cultura e aí instalamos a CPI. Era um golpe que acontecia no Estado inteiro. Pensamos, a princípio, que era fornecimento de diplomas falsos. Ocasionalmente, sabemos que existe. E o que detectamos é que eles agiam em cadeia”, disse a relatora.

Após ouvir detalhes da atuação da CPI em Pernambuco, Marcelo Beltrão ressaltou que as faculdades trabalham com as mesmas características em Alagoas.

“Nós já realizamos algumas reuniões com estudantes, que desencadeou na realização de uma Sessão Especial na Assembleia Legislativa de Alagoas. Ouvimos relatos de diversos estudantes, Ministério Público, Conselho Estadual de Educação e Conselhos Regionais e agora vejo que o caso é muito semelhante. Eles [faculdades irregulares] atuam exatamente da mesma forma que agiam aqui em Pernambuco. Então, não posso cruzar os braços porque são mais de vinte mil pessoas prejudicadas. Pretendo, ainda, trocar experiências e convidar para que a deputada vá até Alagoas participar de uma sessão”, destacou o deputado Marcelo Beltrão.

Mobilização do Congresso Nacional

Ainda durante agenda em Recife, Marcelo Beltrão se reuniu com o deputado Rodrigo Novaes, então presidente da CPI e que hoje responde pela Secretaria de Turismo e Lazer de Pernambuco.

“Foi o trabalho mais qualificado e que mais me deu orgulho na Assembleia. A CPI das Faculdades foi um trabalho grande e nos deparamos com diversas situações. Encontramos pessoas que estavam trabalhando, cedendo prédios e escolas e estavam completamente inocentes, como também pessoas que acabaram envolvidas no processo. No final conseguimos um bom resultado em Pernambuco”, disse Novaes.

Além de ouvir os relatos do presidente sobre o trabalho realizado durante a CPI, conversaram detalhadamente sobre o relatório final e além dos desdobramentos. Durante a reunião, Marcelo Beltrão propôs a formação de uma frente, com a participação de deputados dos dois Estados, para levar os encaminhamentos da CPI de Pernambuco e da CPI que pretende instalar em Alagoas, para Brasília.

“Nós recebemos muitos pedidos para abertura de uma CPI e estamos nos aprofundando no tema, conversando com estudantes. Tenho recebido convite das Câmaras Municipais para falar do assunto e percebemos que o golpe está espalhado em todo o Estado. Minha intensão é primeiro parar com o golpe, e depois ver uma forma de ajudar os alunos que foram prejudicados. Acredito que podemos nos  unir, fazer uma comitiva e ir para Brasília, mobilizar a Câmara para que haja uma CPI em nível nacional. Já apresentei proposta ao MEC [Ministério da Educação] para descentralizar a fiscalização e criar um programa especial para os alunos vítimas, mas precisamos unir forças e levar esta mobilização para a bancada federal”, propôs Marcelo Beltrão.

A proposta foi bem recebida por ambos os deputados, que garantiram o apoio necessário aos trabalhos que são desenvolvidos em Alagoas.

Fonte: Ascom