Secretário de Governo de Flexeiras reafirma denúncia realizada na PF contra André da Téo

Marco Cavalcante pede durante sessão na Câmara de Flexeiras que questões sejam resolvidas na Justiça 

Da Redação

Transparência. Assim o secretário de governo de Flexeiras, Marco Cavalcante, tem pautado suas ações. Nesta quarta-feira, 24/4, Marco se posicionou contra as colocações feitas pelo vereador André da Téo na última sessão da Câmara. Marco destacou na Casa Legislativa que irá acionar seu jurídico para que as “calúnias descabidas” sejam respondidas no âmbito judicial.  Secretário salientou que responde por todos seus atos e que todas as denúncias realizadas por ele estão na Polícia Federal e no Ministério Público Federal devidamente protocoladas e assinadas.

Outro que também enfatizou sua posição foi o presidente da Câmara, Márcio Cavalcante, que garantiu que irá buscar o devido amparo legal junto ao Poder Judiciário para que os danos causados por André sejam reparados.

Marco expôs ainda que faz política decente e séria há anos em Flexeiras e nunca esteve envolvido em nenhum caso de violência. “Sempre tive bons embates aqui nessa Casa, mas sempre no campo das ideias, mesmo que com grupos políticos rivalizando, mas sempre com respeito. O que não pode ocorrer aqui é alguém colocar inverdades sem nenhum compromisso”, destacou Marco.

Folha de Alagoas se posicionou contra qualquer tentativa de intimidação diante da verdade dos fatos: http://folhadealagoas.com.br/portal/2019/04/17/folha-de-alagoas-tem-o-compromiso-com-verdade/

Vereador de Flexeiras foi denunciado na PF por beneficiar familiares e cabos eleitorais

A reportagem da Folha de Alagoas teve acesso um documento encaminhado para o superintendente da Polícia Federal (PF), Rolando Alexandre de Souza, que narra com detalhes o comando das ações do vereador de Flexeiras, Luiz André Correia de Oliveira, o André da Téo, como é conhecido na cidade, em relação a captação de eleitores através da distribuição de unidades habitacionais do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Segundo o protocolo realizado na sede da (PF), a atividade ilegal teve início no ano de 2016, visando os pleitos de 2018 e 2020.

Para ser beneficiado pelo programa habitacional os usuários da cidade de Maceió devem estar inseridos no Cadastro Único do Governo Federal, possuir Número de Identificação Social (NIS) e ter renda familiar de até R$ 1.600. Todas as pessoas nominadas na denúncia possuem residência em Flexeiras, logo, não poderiam ser contempladas com unidades na capital.

O modus operandi funcionava da seguinte forma: cabos eleitorais eram escolhidos e familiares, por sua relação de proximidade e confiança, e eram beneficiados pela então Secretaria de Habitação de Maceió e esses mesmos cabos eleitorais, posteriormente, aliciavam outras pessoas para receber o benefício, muitas dessas sem saber que era uma irregularidade, pois não residiam em Maceió e outras já com imóveis ou renda incompatível para aquisição do bem. O valor de marcado de um imóvel desse porte está avaliado em cerca de R$ 60 mil.

Retaliação

O esquema denunciado por Marco Cavalcante foi parar na Polícia Federal e em retaliação André da Téo, numa tentativa política desesperada de não se expor publicamente perante o escândalo, tentou desviar o foco para o denunciante dizendo que se algo acontecesse contra ele os responsáveis seriam  Marco e Márcio.

Veja a matéria na íntegra: http://folhadealagoas.com.br/portal/2019/04/05/vereador-de-flexeiras-e-denunciado-na-pf-por-beneficiar-familiares-e-cabos-eleitorais/