Diego Hypolito agradece apoio: “A gente pode ser exemplo independente de sexualidade”

“Meu telefone não parou.” Diego Hypolito está recebendo centenas de mensagens desde a última quarta-feira. O carinho vem de toda parte. Ligadas ao esporte ou não, as pessoas abraçaram o vice-campeão olímpico do solo após ele sair do armário em um relato feito ao site “UOL”. Agradecendo o apoio dos fãs, o ginasta de 32 anos acredita que ter falado abertamente sobre ser gay pode ajudar a combater o preconceito.

– Vi que existe possibilidade de mudar a cabeça das pessoas, porque a gente pode ser exemplo independente de sexualidade. Esse posicionamento seja importante para que pessoas como eu não entrem em depressão por causa disso, não achem que são demônios, como eu achava muitas vezes que eu era. Acho que isso é o mais importante. Eu recebi muitas mensagens falando: “Nossa, Diego, eu pensava da mesma maneira que você, muito obrigado por ter falado isso.” Acho que a gente só tem o direito de ser julgado por Deus. As pessoas apontam o dedo e não se colocam no lugar do próximo. Meus princípios não mudam. Fico contente que as pessoas estão lidando de uma maneira tão positiva – disse Diego.

Através de suas redes sociais, o vice-campeão olímpico recebeu muitas mensagens de carinho de atletas e ex-atletas. Apoiaram Diego os medalhistas olímpicos Douglas Souza, Poliana Okimoto e Arthur Nory, que dividiu o pódio da Rio 2016 com o companheiro de seleção brasileira de ginástica. Também abraçaram o Diego com mensagens de apoio Joanna Maranhão (natação), Brandonn Almeida (natação) e Pepê Gonçalves (canoagem). Da ginástica, também expressaram carinho Camila Comin, Jared Azzarini, Fred Oliveira e Angélica Kvieczynski. Muitos amigos do ginasta fizeram a demonstração de afeto em particular.

– As mensagens estão muito positivas. Não imaginava isso. Não tenho visto crítica. A única negativa é quando alguém diz que já sabia. Eu também tenho a sensação de que já sabiam, mas o importante é deixar de ser uma mentira. Há alguns anos um repórter me perguntou se eu era gay e eu disse que não. Isso me fez muito mal. A partir do momento que contei para minha mãe eu prometi que nunca mais mentiria para mim mesmo. Quando me perguntaram eu tive coragem de falar porque é algo que já sou muito bem aceito comigo mesmo.

Em seu relato, Diego contou que o medo de perder patrocínios e atrapalhar seu sonho de uma medalha olímpica o fez mentir, esconder sua sexualidade. Além da prata no solo da Rio 2016, o ginasta é recordista brasileiro em pódios de Mundiais (dois ouros, uma prata e dois bronzes) e tem 69 medalhas em etapas da Copa do Mundo.

– Minha vida foi de muito sacrifício, passei por muitas necessidades. Acho que isso muitas vezes me fez relutar nas minhas decisões, nos meus pensamentos, ter posicionamentos mais gentis e educados. Muito medo de perder patrocínio. A questão também de influência nos Jogos Olímpicos, porque a gente vive em um mundo muito preconceituoso.

Nesta quinta-feira, Diego Hypolito foi exaltado pela Comitê Olímpico Internacional em suas redes sociais. Tanto na conta do COI em português como em inglês, a mensagem era a mesma: cabeça erguida e nunca desistir.

GE