Alagoas, 23 de agosto de 2019

Inovação: oficiais de justiça realizam conciliação em Maceió


O Poder Judiciário alagoano segue avançando em sua atuação. A ação inovadora, desta vez, ocorreu através da categoria dos oficiais de justiça, que protagonizou a primeira conciliação do Estado realizada por estes profissionais deslocando-se até as partes.

O procedimento contou com a participação de dois oficiais de justiça, Jorge Henrique de Alencar e Gustavo Luiz Francisco de Macêdo, da parte ré, que estava em débito com o condomínio onde residia, e do representante legal da unidade habitacional.

A conciliação foi um sucesso, aproximando efetivamente o Poder Judiciário de seus jurisdicionados. As partes elogiaram a iniciativa inovadora. “A Justiça bateu na porta da sociedade e disse estou aqui”, enfatizou Gustavo Macêdo, Coordenador da Central de Mandados da Capital.

As conciliações têm o papel de desafogar as demandas do Poder Judiciário e contribuir para solução de problemáticas na raiz da questão.

Oficiais de  justiça, Gustavo Luiz Francisco de Macêdo e Jorge Henrique de Alencar

Projeto de Lei

No caso específico de conciliação realizada por oficial de justiça, importante ressaltar que existe um projeto na Câmara Federal (PL 9609/18), de autoria do deputado paraibano Efraim Filho (DEM-PB), que altera o Código de Processo Civil (Lei 13.105/15) para atribuir ao oficial de justiça à incumbência de realizar conciliações e mediações no âmbito de processos judiciais.

No entanto, Alagoas largou na frente, a Lei  Estadual 7889/2017 que disciplina a carreira dos servidores do Judiciário alagoano, de forma inovadora, trouxe em seu bojo essa previsão,  atribuindo aos oficiais de justiça, em seu quadro de competências, o uso de meios consensuais para  soluções de conflitos (conciliação/medição).

O presidente do Sindicato  dos Oficiais de Justiça de Alagoas (Sindojus/AL), Cícero Filho, destacou a importância da proatividade do oficialato alagoano, que contribui para um Judiciário cada vez mais moderno e eficaz. “É esse o Judiciário, célere, objetivo e antenado com a modernidade, que a sociedade deseja”.

O presidente da entidade classista ainda salientou que em breve o Poder Judiciário de Alagoas estará inovando ainda mais com o uso de um aplicativo por oficiais de justiça para  solução de conflitos através de conciliações. “Esse projeto tem o apoio da presidência do TJ/AL e da Corregedoria-Geral da Justiça”, destacou Cícero Filho.

Em Brasília

O deputado federal Efraim Filho (DEM-PB), autor do Projeto de Lei 9609/18, disse que “o oficial de Justiça se destaca como elemento mais capacitado e menos dispendioso para o Judiciário na consecução da conciliação e mediação”.

Efraim Filho afirmou ainda que, “sendo graduados em Direito, esses servidores encontram-se aptos a realizar conciliações e mediações”. Além disso, destacou que a proposta não implicará aumento de custos para os tribunais, uma vez que os oficiais de justiça já compõem o quadro de pessoal, não gerando despesas acessórias para o orçamento.

Fonte: Ascom Sindojus