Ao comentar vazamento de conversas, Calheiros volta a defender Lei de Abuso de Autoridade

Ossenador alagoano Renan Calheiros (MDB) voltou a defender nesta segunda, 10, a tramitação da Lei de Abuso de Autoridade, de sua autoria, ao comentar o vazamento das conversas entre o então juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. Ele fez uma postagem no Twitter.

Renan afirmou que a força-tarefa é uma “conspiração de juízes e procuradores em nome de projeto de poder”. “Precisamos investigá-los e aprovar a Lei de Abuso de Autoridade”, escreveu.

A publicação é resultado de uma publicação de quatro reportagens que revelam conversas entre o atual ministro da Justiça Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. De acordo com o site, foram recebidos lotes de mensagens trocadas por ambos no aplicativo Telegram indicando falhas na imparcialidade que deveria ser julgado e conduzido o caso do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

A Operação Lava Jato, usada para prender o ex-presidente, foi batizada de “Vaza Jato” pela equipe do The Intercept. Após a publicação das quatro reportagens, a internet “explodiu”: hoje (10), no Twitter Brasil, das 10 hashtags mais compartilhadas, 6 falam exatamente sobre as mensagens trazidas a luz pelo site. No Twitter Mundial, a hashtag #EuApoioaLavaJato marca presença e #VazaJato chegou a ficar em primeiro lugar na madrugada de ontem. No buscador do Google, o termo “Vaza Jato”, cunhado há menos de 20 horas, já conta com mais de 7 mil respostas.