Alagoas, 16 de setembro de 2019

Elza Soares recai no samba de Gonzaguinha no álbum ‘Planeta fome’


Em 1972, quando Gonzaguinha (1945 – 1991) ainda batalhava para ser reconhecido como cantor e compositor na sequência de aparições em festivais, Elza Soares lançou no álbum Elza pede passagem um samba que se tornaria obscuro na obra do artista carioca, O gato, até pelo fato de nunca ter sido gravado pelo autor.

Naquele mesmo ano de 1972, Gonzaguinha lançaria compacto simples com outro samba, Comportamento geral, que alcançaria mais repercussão e evidenciaria o aguçado tom político e social da obra do compositor, preparando o terreno para que o cantor gravasse o primeiro álbum solo em 1973.

Decorridos 47 anos do registro original do autor, Comportamento geral reaparece na voz da cantora carioca. Também cantado por Vanessa da Mata no corrente show Quando deixamos nossos beijos na esquina (2019), o samba de Gonzaguinha integra o repertório do 34º álbum de Elza, Planeta fome, programado para ser lançado na próxima sexta-feira, 13 de setembro.

O samba Comportamento geral se ajusta ao tom político de disco que também exala romantismo na canção Lírio rosa, parceria do compositor gaúcho Luciano Mello com Pedro Loureiro (autores de Dentro da cada um, música gravada por Elza no álbum anterior Deus é mulher, de 2018).

Álbum que gravita em órbita carioca, Planeta fome traz regravação da música Não recomendado (Caio Prado, 2014) e as participações de BNegão e Rafael Mike.

Mauro Ferreira/G1*