Alagoas, 19 de novembro de 2019

Disco inacabado de Walter Franco pode sair como tributo à memória do artista


Ocorrida em 24 de outubro na cidade de São Paulo (SP), a morte de Walter Franco (1945 – 2019) impediu o artista de concluir o álbum de músicas inéditas que preparava desde 2018.

Quando Franco sofreu o AVC que o fez ser internado no início deste mês de outubro, o disco estava em fase adiantada de gravação, mas infelizmente sem a voz do artista nas faixas.

Intitulado LISTEN – ResiLIência e ResiSTÊNcia, o álbum deverá ser concluído como um tributo à memória deste cantor, compositor e músico paulistano, associado à MPB de vanguarda.

Diogo Franco, filho de Walter, é o diretor musical do disco, cujo repertório original inclui parcerias do compositor de Cabeça (1972) com Carlos Costa Neto (Acoustic guitar) e Dácio Galvão (Signo), além de colaboração póstuma com o poeta carioca Olavo Bilac (1865 – 1918), autor dos versos de Não és bom nem és mal, musicados por Walter.

Sem parceiros, o compositor fez músicas como Eu real e Sim para o álbum. LISTEN – ResiLIência e ResiSTÊNcia seria o primeiro álbum de Walter Franco desde Tutano (2001), disco autoral lançado há 18 anos.

O que torna ainda mais triste a precoce saída de cena do artista, aos 64 anos, sem poder concluir o disco que o traria de volta ao mercado fonográfico e que, diante das circunstâncias, se tornará forçosamente um título póstumo da discografia de Walter Franco se for efetivamente finalizado e lançado.