Alagoas, 19 de janeiro de 2020

Governo de Alagoas lança Programa Estadual de Barragens Subterrâneas


O Governo de Alagoas avança nas ações e programas que visam minimizar a escassez de água. E com este propósito, a Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) lançou, nesta quarta-feira (11), no Palácio República dos Palmares, o Programa Estadual de Barragens Subterrâneas, visando ofertar água para o consumo humano, animal, irrigação e segurança alimentar nas regiões mais secas do Estado.

Junto às entidades parceiras, está a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que, durante a atividade, apresentou o Mapa de Áreas Potenciais para a Construção de Barragens Subterrâneas que servirá como base para a construção destes equipamentos em Alagoas que é o primeiro do semiárido brasileiro a realizar este tipo de zoneamento.

Segundo o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fernando Pereira, a expectativa é construir 200 barragens subterrâneas por meio do programa nos próximos três anos. “No próximo ano, queremos dar o primeiro passo na construção das primeiras barragens e desta forma garantiremos água para o plantio e o rebanho, e contribuiremos para que o produtor permaneça no campo, gerando emprego e renda nos municípios, fazendo deste projeto uma referência para todo o Nordeste”, destacou Pereira.

A solenidade também contou com a participação do secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri), Silvio Bulhões; o superintendente regional do Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento, Alay Correia; das deputadas estaduais Jó Pereira, Ângela Garrote e Fátima Canuto; do superintendente do Sebrae Alagoas, Marcos Vieira; e do coordenador da Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA), Albanir Vieira.

Início do Programa de Barragens Subterrâneas

A Semarh tem a previsão de iniciar o Programa Estadual de Barragens Subterrâneas nos primeiros meses do próximo ano, com a construção das 50 primeiras barragens que devem beneficiar mais de 250 famílias, em 38 municípios do Agreste e Sertão.

Os estudos realizados pela Embrapa Solos mapearam mais de 12 mil km², com uma análise multicritério e com cruzamento de parâmetros do solo, relevo, geologia e clima. Com as informações colhidas, foi criado o Mapa de Áreas Potenciais para a construção das barragens. Além disso, essas áreas foram divididas em sete microrregiões, que serão usadas como parâmetro para a instalação das barragens.

Assessoria