Alagoas, 18 de fevereiro de 2020

Política

Executiva do PDT decide expulsar senador que votou a favor da PEC do teto dos gastos

Executiva do PDT decide expulsar senador que votou a favor da PEC do teto dos gastos

Política
Por unanimidade, a Executiva Nacional do PDT decidiu, nesta terça-feira (17), expulsar o senador Telmário Mota (RR) por descumprimento da orientação partidária na votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que fixou um teto para as despesas públicas na União. Telmário votou a favor da chamada PEC do teto dos gastos no Senado, contrariando a posição do partido, que faz oposição ao governo Michel Temer. A decisão foi tomada “ad referendum”. Com isso, terá de ser referendada em reunião do Diretório Nacional do PDT, prevista para março. A cúpula pedetista também considerou que o senador infringiu o estatuto partidário ao fazer pesadas críticas à direção do partido em entrevistas concedidas a rádios de Roraima. O Congresso em Foco tentou localizar Telmário para comentar a decisão. Ma
“Brasil está fora do foco das políticas de Trump”, diz analista Robert Wood

“Brasil está fora do foco das políticas de Trump”, diz analista Robert Wood

Política
Apesar dos esforços do Brasil em melhorar as condições de acesso ao mercado americano, a chegada de Donald Trump à Casa Branca não cria muitas expectativas de ampliação do comércio bilateral, de acordo com o analista-chefe para a América Latina da Economist Intelligence Unit (EIU), baseado em Nova York, Robert Wood. “O Brasil não estará no foco das políticas econômicas e comercias da administração Trump”, afirma em entrevista à RFI Brasil. “Os Estados Unidos estarão focados nas relações com o México, o parceiro no âmbito de um tratado de livre comércio da América do Norte, e talvez com a China. Se olharmos durante a administração de Obama, o Brasil também não esteve no centro das políticas externas do governo americano. Não vai haver mudanças”, sentencia. Por outro lado, ao ana
As Repúblicas do Galeão, de Alagoas e de Curitiba

As Repúblicas do Galeão, de Alagoas e de Curitiba

Política
“Assim como a ‘República do Galeão’ teve um único objetivo, atingir e depor Getúlio Vargas, a ‘República de Curitiba’ tem um o​ se​​u: destr​​uir Lula e o PT. No fundo​,​ a razão é a mesma, não permitir a ascensão social dos trabalhadores e dos pobres”, diz ex-deputado. As notícias da época eram semelhantes ​às​ do final de 2015 até o golpe contra Dilma e a democracia​,​ em 2016. O jogo político e a manipulação através da imprensa também eram semelhantes. Se antes havia uma UDN (União Democrática Nacional) e um Carlos Lacerda, agora havia muitos Lacerdas e os partidos da oposição formaram um​a​ frente que não ficou ​em ​nada a dever ​à​ antiga UDN. Se antes havia uma Tribuna de Imprensa, hoje há uma potente Rede Globo e outros sabujos. Os opositores a Getúlio Vargas fizeram do ate
Collor protocola seis pedidos de impeachment contra Janot

Collor protocola seis pedidos de impeachment contra Janot

Política
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi alvo de 12 pedidos de impeachment no Senado nos últimos dois anos. Metade deles foram assinados por Fernando Collor (PTC-AL). O senador – que é investigado pela Operação Lava Jato e responde 30 inquéritos por corrupção passiva, 376 por lavagem de dinheiro e outros 48 por peculato – acusa Janot de atuar com parcialidade na hora de escolher quais políticos seriam denunciados no âmbito da operação que investiga os desvios de dinheiro da Petrobras. Em outro processo, Collor sai em defesa do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. De acordo com o parlamentar alagoano, o procurador-geral da República violou a separação dos Poderes quando autorizou a busca e apreensão no gabinete do peemedebista. As informações foram publicadas pelo Estadão na m
PSDB pode ter ‘espião’ em investigações internacionais

PSDB pode ter ‘espião’ em investigações internacionais

Política
A colaboração internacional tem sido útil à Operação Lava Jato. Os Estados Unidos acabam de fechar um acordo de leniência com a Odebrecht capaz de abastecer processos no Brasil com informações. A Suíça forneceu dados bancários decisivos contra o deputado cassado Eduardo Cunha. Não surpreende o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, ter decidido se meter nessa seara. Moraes quer trocar o comando do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), vinculado ao Ministério da Justiça, e nomear alguém de sua confiança. Também pretende mudar a legislação para ter algum tipo de controle sobre atividades do órgão. O PSDB, partido de Moraes, tem políticos ao alcance de investigações que talvez resultem – se é que já não resultaram, de forma sigilosa - em pe